TRICICLO HOLLY TRIKES – O RELATO DO PILOTO

  • 1
triciclo

TRICICLO HOLLY TRIKES – O RELATO DO PILOTO

 

Aprendendo a viajar em três rodas, comprei um triciclo.

 

O Triciclo e motocicletas são adequados para qualquer idade, há quem diga que as motocicletas se adaptam melhor ao espírito dos mais jovens, principalmente aos mais ousados, mas quando a juventude se vai, os reflexos do piloto se tornam mais lentos, a agilidade também, não é novidade para ninguém, a conseqüência disso podem ser eventuais erros de pilotagem que comprometem a segurança, podendo até causar acidentes.

Pilotar uma motocicleta exige coordenação de movimentos de corpo e membros, ações como frear a dianteira, frear a traseira, ambas simultaneamente ou separadamente, calcular a velocidade para fazer tomadas de curva, inclinação, aprender jogo de corpo, são habilidades que se adquirem e aprendem com tempo, o subconsciente humano com o tempo registra tudo sobre pilotagem da moto tornando-a quase automática.

Após anos pilotando motocicletas, ao passar para o triciclo, é comum sentir uma grande diferença, em alguns casos o piloto não consegue inicialmente sair do zero, é necessário repensar os movimentos, e romper o paradigma da pilotagem da moto no subconsciente reforçando que agora, trata-se de um triciclo, não mais de uma moto. Ao iniciar a pilotagem do triciclo, deve-se adaptar mentalmente à nova realidade estável de equilibrio.

Logo nos primeiros instantes tudo é estranho, os balanços, os movimentos de partida, virar o guidão para a esquerda e direita, esquecer os movimentos do corpo, tudo é novo, e aí começa a readaptação do subconsciente desta vez para pilotar o  triciclo, e, com algum tempo o cérebro começa a eliminar a moto e adotar o triciclo.

Com o passar do tempo, os passeios, as viagens, certamente serão mais descontraídas, pois o triciclo tem suspensão independente, com 110mm de percurso não permitindo trancos na coluna do piloto e garupa, o peso do conjunto triciclo, piloto, garupa e bagagem com volume de porta malas de 126 L não incomodam.

O rendimento de viagem é ótimo, não cansa nada, e, com a experiência de três anos de passeios e viagens, mais de 10.000km percorridos, aprendi mais uma maneira de curtir uma Harley-Davidson com total conforto, descontração e muita segurança. Vamos Viajar!

 

 

 


1 Comentário

oscar pozzani

11 de março de 2017 at 9:28 am

no decorrer do tempo farei comtato

Deixe uma resposta